Projeto de Leitura – Livro O mistério da Casa Verde

Olá queridos!

Segue o vídeo que assistimos em sala de aula para auxiliá-los na feitura dos trabalhos sobre transtornos psicológicos.

Espero que gostem. Caso tenham alguma dúvida sobre os termos apresentdos no vídeo, podemos conversar em sala de aula.

Bons estudos!

Profª. Joyce

Anúncios

Projeto de Leitura – Livro Açúcar Amargo

Olá queridos!

Gostaria que vocês assistissem aos três vídeos que seguem abaixo. Esses são os vídeos que assistimos em sala de aula. Procurem responder, em seus cadernos, as perguntas abaixo e levem suas respostas para a aula de sexta-feira. Faremos uma roda de conversa e vocês serão avaliados pela participação de voces.

Questões:

1. Qual a diferença entre os direitos dos trabalhadores no primeiro vídeo que assistimos (do profissão repórter e o segundo, que é um documentário sobre o sindicato dos cortadores de cana?

2. Como é a vida da personagem principal do livro “Açúcar Amargo” e que relação ela tem com o vídeo das “Crianças invisíveis”?

Espero que gostem. Caso tenham alguma dúvida sobre os termos apresentdos no vídeo, podemos conversar em sala de aula.

Bons estudos!

Profª. Joyce

Tarefa 05

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

 

1. (Unicamp 2008)  O texto a seguir é extraído de artigo jornalístico no qual se comparam duas notícias que chamaram a atenção da imprensa brasileira no mês de outubro de 2007: de um lado, o caso entre o senador Renan Calheiros e a jornalista Mônica Veloso; de outro, o artigo em que o apresentador de TV Luciano Huck expressa sua indignação contra o roubo de seu relógio Rolex.

 

Aparentemente, o que aproxima todos esses personagens é a disputa por um objeto de desejo. No caso dos assaltantes de Huck, por estar no pulso de um “BACANA”, mais que um relógio, o objeto em questão aparece como um equivalente geral que pode dar acesso a outros objetos (…). Presente de sua mulher, a igualmente famosa apresentadora global Angélica, um relógio desse calibre é sinal de prestígio, indicando um lugar social que, no Brasil, costuma “ABRIR PORTAS” raras vezes franqueadas à maior parte da população. (…) Mais afinado com as tradições patriarcais de seu estado natal, Renan aparece nos noticiários, bem de acordo com a chamada “PREFERÊNCIA NACIONAL” dos anúncios de cerveja. Daí que não seja possível, em ambos os episódios, associar os casos em questão àquele “OBSCURO OBJETO DE DESEJO” que dá título a um dos mais instigantes filmes de Luís Buñuel. Tratava-se, para o cineasta, de mostrar como um desejo singular, único, podia engendrar um objeto de grande opacidade. Em direção oposta, tanto na parceria Calheiros/Veloso, quanto no confronto Huck/assaltantes, há uma espécie de exibição ostensiva dos objetos em jogo, como que marcando a coincidência de desejos que perderam sua singularidade para cair na vala comum das banalidades.

(Adaptado de Eliane Robert Moraes, “Folha de São Paulo”, 14/10/2007, destaques nossos.)

 

a) Um dos usos de aspas é o de destacar elementos no texto. Explique a finalidade desse destaque nas seguintes expressões presentes no texto: “bacana”, “abrir portas” e “preferência nacional”.

 

b) No caso de “obscuro objeto de desejo”, as aspas marcam o título de um filme de Buñuel. Explique como a referência a esse título estabelece uma oposição fundamental para a argumentação do texto.

 

2. (Unicamp 2009)  Reportagem da “Folha de São Paulo” informa que o presidente do Brasil assinou decreto estabelecendo prazos para o país colocar em prática o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que unifica a ortografia nos países de língua portuguesa. Na matéria, o seguinte quadro comparativo mostra alterações na ortografia estabelecidas em diferentes datas:

 

 

Sobre o acordo, a reportagem ainda informa:

 

As regras do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que entram em vigor no Brasil a partir de janeiro de 2009, vão afetar principalmente o uso dos acentos agudo e circunflexo, do trema e do hífen. Cuidado: segundo elas, você não poderá mais dizer que foi mordido por uma jiboia, e sim por uma jiboia. (…)

Adaptado de E. Simões, Que língua é essa?  “Folha de S. Paulo”, Ilustrada, p. 1, 28/09/2008.

 

a) O excerto acima supõe que alterações ortográficas modifiquem o modo de falar uma língua. Mostre a palavra utilizada que permite essa interpretação. Levando-se em consideração o quadro comparativo das mudanças ortográficas e a suposição expressa no excerto, explique o equívoco dessa suposição.

 

Ainda sobre a reforma ortográfica, Diogo Mainardi escreveu o seguinte:

 

Eu sou um ardoroso defensor da reforma ortográfica. A perspectiva de ser lido em Bafatá, no interior da Guiné-Bissau, da mesma maneira que sou lido em Carinhanha, no interior da Bahia, me enche de entusiasmo. Eu sempre soube que a maior barreira para o meu sucesso em Bafatá era o C mudo [como em facto na ortografia de Portugal] (…)

D. Mainardi, Uma reforma mais radical. Revista VEJA, p. 129, 8/10/2008.

 

b) O excerto acima apresenta uma ironia. Em que consiste essa ironia? Justifique.

 

3. (Insper 2012)  Leia a propaganda abaixo:

 

Na imagem acima, o cartunista brinca com a reforma ortográfica. Com relação ao emprego do hífen, todas as palavras estão de acordo com as novas regras, exceto

a) mega-empresa.

b) autorretrato.

c) autoajuda.

d) micro-ondas.

e) anti-inflamatório.

 

4. (Ifsc 2012)  Quanto à ortografia e à acentuação, assinale a alternativa CORRETA.

a) Após um gesto de comando, os que ainda estão de pé sentão-se e fazem silencio para houvir o diretor.

b) Mesmo que sofresse-mos uma repreenção por queixa de algum professor mais cioso de suas obrigações, a oférta parecia-nos irrecusável.

c) Marta nunca deicha o filho sózinho na cosinha, temerosa de que ele venha a puchar uma panela sobre sí.

d) À excessão de meu primo, que se mostrava um tanto pretencioso, todos os garotos eram bastante humildes.

e) A perícia analisaria a flecha, em busca de vestígios que pudessem fornecer indícios sobre sua trajetória.