Tarefa 05

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

 

1. (Unicamp 2008)  O texto a seguir é extraído de artigo jornalístico no qual se comparam duas notícias que chamaram a atenção da imprensa brasileira no mês de outubro de 2007: de um lado, o caso entre o senador Renan Calheiros e a jornalista Mônica Veloso; de outro, o artigo em que o apresentador de TV Luciano Huck expressa sua indignação contra o roubo de seu relógio Rolex.

 

Aparentemente, o que aproxima todos esses personagens é a disputa por um objeto de desejo. No caso dos assaltantes de Huck, por estar no pulso de um “BACANA”, mais que um relógio, o objeto em questão aparece como um equivalente geral que pode dar acesso a outros objetos (…). Presente de sua mulher, a igualmente famosa apresentadora global Angélica, um relógio desse calibre é sinal de prestígio, indicando um lugar social que, no Brasil, costuma “ABRIR PORTAS” raras vezes franqueadas à maior parte da população. (…) Mais afinado com as tradições patriarcais de seu estado natal, Renan aparece nos noticiários, bem de acordo com a chamada “PREFERÊNCIA NACIONAL” dos anúncios de cerveja. Daí que não seja possível, em ambos os episódios, associar os casos em questão àquele “OBSCURO OBJETO DE DESEJO” que dá título a um dos mais instigantes filmes de Luís Buñuel. Tratava-se, para o cineasta, de mostrar como um desejo singular, único, podia engendrar um objeto de grande opacidade. Em direção oposta, tanto na parceria Calheiros/Veloso, quanto no confronto Huck/assaltantes, há uma espécie de exibição ostensiva dos objetos em jogo, como que marcando a coincidência de desejos que perderam sua singularidade para cair na vala comum das banalidades.

(Adaptado de Eliane Robert Moraes, “Folha de São Paulo”, 14/10/2007, destaques nossos.)

 

a) Um dos usos de aspas é o de destacar elementos no texto. Explique a finalidade desse destaque nas seguintes expressões presentes no texto: “bacana”, “abrir portas” e “preferência nacional”.

 

b) No caso de “obscuro objeto de desejo”, as aspas marcam o título de um filme de Buñuel. Explique como a referência a esse título estabelece uma oposição fundamental para a argumentação do texto.

 

2. (Unicamp 2009)  Reportagem da “Folha de São Paulo” informa que o presidente do Brasil assinou decreto estabelecendo prazos para o país colocar em prática o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que unifica a ortografia nos países de língua portuguesa. Na matéria, o seguinte quadro comparativo mostra alterações na ortografia estabelecidas em diferentes datas:

 

 

Sobre o acordo, a reportagem ainda informa:

 

As regras do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, que entram em vigor no Brasil a partir de janeiro de 2009, vão afetar principalmente o uso dos acentos agudo e circunflexo, do trema e do hífen. Cuidado: segundo elas, você não poderá mais dizer que foi mordido por uma jiboia, e sim por uma jiboia. (…)

Adaptado de E. Simões, Que língua é essa?  “Folha de S. Paulo”, Ilustrada, p. 1, 28/09/2008.

 

a) O excerto acima supõe que alterações ortográficas modifiquem o modo de falar uma língua. Mostre a palavra utilizada que permite essa interpretação. Levando-se em consideração o quadro comparativo das mudanças ortográficas e a suposição expressa no excerto, explique o equívoco dessa suposição.

 

Ainda sobre a reforma ortográfica, Diogo Mainardi escreveu o seguinte:

 

Eu sou um ardoroso defensor da reforma ortográfica. A perspectiva de ser lido em Bafatá, no interior da Guiné-Bissau, da mesma maneira que sou lido em Carinhanha, no interior da Bahia, me enche de entusiasmo. Eu sempre soube que a maior barreira para o meu sucesso em Bafatá era o C mudo [como em facto na ortografia de Portugal] (…)

D. Mainardi, Uma reforma mais radical. Revista VEJA, p. 129, 8/10/2008.

 

b) O excerto acima apresenta uma ironia. Em que consiste essa ironia? Justifique.

 

3. (Insper 2012)  Leia a propaganda abaixo:

 

Na imagem acima, o cartunista brinca com a reforma ortográfica. Com relação ao emprego do hífen, todas as palavras estão de acordo com as novas regras, exceto

a) mega-empresa.

b) autorretrato.

c) autoajuda.

d) micro-ondas.

e) anti-inflamatório.

 

4. (Ifsc 2012)  Quanto à ortografia e à acentuação, assinale a alternativa CORRETA.

a) Após um gesto de comando, os que ainda estão de pé sentão-se e fazem silencio para houvir o diretor.

b) Mesmo que sofresse-mos uma repreenção por queixa de algum professor mais cioso de suas obrigações, a oférta parecia-nos irrecusável.

c) Marta nunca deicha o filho sózinho na cosinha, temerosa de que ele venha a puchar uma panela sobre sí.

d) À excessão de meu primo, que se mostrava um tanto pretencioso, todos os garotos eram bastante humildes.

e) A perícia analisaria a flecha, em busca de vestígios que pudessem fornecer indícios sobre sua trajetória.

Tarefa Semanal II Ano 04 de Literatura III Bimestre de 2012

Olá, pessoal!

 

Ai está a quarta tarefa semanal deste II Bimestre. Vocês deverão entregá-la até o dia 03/09/2012 (segunda-feira). Não se esqueçam de que a realização de todas as tarefas do bimestre poderá valer um ponto em sua nota bimestral.

Bons estudos,

Antonio Henrique.

 

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

 

Leia o trecho abaixo de Vidas secas e responda as questões 1 e 2:

 

            “Fabiano tomo a cuia, desceu a ladeira, encaminhou-se ao rio seco, achou no bebedouro dos animais um pouco de lama. Cavou a areia com as unhas, esperou que a água marejasse e, debruçando-se no chão, bebeu muito. Saciado, caiu de papo para cima, olhando as estrelas, que vinham nascendo. Uma, duas, três, quatro, havia mais de cinco estrelas no céu. O poente cobria-se de cirros – e uma alegria doida enchia o coração de Fabiano” (Graciliano Ramos, Vidas Secas).

 

Álvaro Lins afirma que “o mais brasileiro dos livros do Sr. Graciliano Ramos é sem dúvida Vidas Secas, publicado em 1938. Além de ser o mais humano e comovente dos livros de ficção deste autor, Vidas Secas é o que contém maior sentimento da terra nordestina”. A respeito dessa obra, responda:

 

1) Por que o título Vidas Secas? (Para responder esta questão, lembre-se e comente todas as formas de secas que podem ser interpretadas desse romance).

 

2) O que há de comum e de diferente entre o primeiro e o último capítulo desse romance.

 

3) (UFLA) Sobre a obra Vidas Secas, de Graciliano Ramo, todas as alternativas estão corretas, EXCETO:

 

a) O romance focaliza uma família e retirantes, que vive numa espécie de mudez introspectiva, em precárias condições físicas e num degradante estado de condição humana.

b) O relato dos fatos e a análise psicológica dos personagens articulam-se com grande coesão ao longo da obra, colocando o narrador como decifrador dos comportamentos animalescos dos personagens.

c) O ambiente seco e retorcido da caatinga é como um personagem presente em todos os momentos, agindo de forma contínua sobre os seres vivos.

d) A narrativa faz-se em capítulos curtos, quase totalmente independentes e sem ligação cronológica e o narrador é incisivo, direto, coerente com a realidade que fixou.

e) O narrador preocupa-se exclusivamente com a tragédia natural (a seca) e a descrição do espaço não é minuciosa, pelo contrário, é difícil para nós leitores compormos a imagem da região seca, apresentada no romance.

 

(IELUSC) Texto para próxima questão.

 

Tinham deixado os caminhos, cheios de espinho e seixos, fazia horas que pisavam a margem do rio, a lama seca e rachada que escaldava os pés [...]

[Sinha Vitória] distraiu-se olhando os xiquexiques e os mandacarus que avultavam na campina. Um mormaço levanta-se da terra queimada.

Estremeceu, lembrando-se da seca, o rosto moreno desbotou, os olhos pretos arregalaram-se (Graciliano Ramos, Vidas Secas).

 

4) Assinale a alternativa INCORRETA:

 

a) Apesar de as personagens da história viverem no sertão nordestino, boa parte da trama se passa em São Paulo, que é o destino da maioria dos retirantes.

b) Focaliza uma família de retirantes que vive numa espécie de mudez introspectiva, em precárias condições físicas e num estado degradante de condição humana.

c) O autor descreve a realidade a partir da visão amarga do sertanejo, associando a psicologia das personagens com as condições naturais e sociais em que estão inseridas.

d) É um romance desmontável, tendo em vista sua composição descontínua, feita de episódios relativamente independentes e seqüências parcialmente truncadas.

e) Algumas das personagens são: Sinha Vitória, Fabiano, Baleia, Soldado Amarelo.

 

Tarefa Semanal I Ano 04 de Literatura III Bimestre de 2012

Olá, pessoal!

 

Ai está a quarta tarefa semanal deste III Bimestre. Vocês deverão entregá-la até o dia 03/09/2012 (segunda-feira). Não se esqueçam de que a realização de todas as tarefas do bimestre poderá valer um ponto em sua nota bimestral.

 

Bons estudos,

Antonio Henrique.

 

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

 

1. (Uftm 2012) Leia o texto abaixo e responda:

 

E dizem que rola um texto na internet com minha assinatura baixando o pau no “Big Brother Brasil”.

Não fui eu que escrevi.

Não poderia escrever nada sobre o “Big Brother Brasil”, a favor ou contra, porque sou um dos três ou quatro brasileiros que nunca o acompanharam.

O pouco que vi do programa, de passagem, zapeando entre canais, só me deixou perplexo: o que, afinal, atraía tanto as pessoas – além do voyeurismo* natural da espécie – numa jaula de gente em exibição?

Também me dizem que, além de textos meus que nunca escrevi, agora frequento a internet com um Twitter.

Aviso: não tenho tuiter, não recebo tuiter, não sei o que é tuiter.

E desautorizo qualquer frase de tuiter atribuída a mim a não ser que ela seja absolutamente genial. Brincadeira, mas já fui obrigado a aceitar a autoria de mais de um texto apócrifo (e agradecer o elogio) para não causar desgosto, ou até revolta. Como a daquela senhora que reagiu com indignação quando eu inventei de dizer que um texto que ela lera não era meu:

— É sim.

— Não, eu acho que…

— É sim senhor!

Concordei que era, para não apanhar. O curioso, e o assustador, é que, em textos de outros com sua assinatura e em tuiters falsos, você passa a ter uma vida paralela dentro das fronteiras infinitas da internet.

É outro você, um fantasma eletrônico com opiniões próprias, muitas vezes antagônicas, sobre o qual você não tem nenhum controle,

— Olha, adorei o que você escreveu sobre o “Big Brother”. É isso aí!

— Não fui eu que…

— Foi sim!

 

(Luiz Fernando Veríssimo, http://oglobo.globo.com, 30.01.2011. Adaptado.)

 

* voyeurismo: forma de curiosidade mórbida com relação ao que é privativo, privado ou íntimo.

 

 

a) O que o contraste das grafias Twitter e tuiter, em destaque no texto, revela sobre o ponto de vista do autor acerca desse meio de comunicação virtual?

 

b) É correto afirmar que o autor reage com bom humor e resignação diante do fato de lhe atribuírem a autoria de textos que não escreveu? Justifique, transcrevendo e comentando um ou mais trechos do texto.

 

2. (Fuvest 2008)      O AUTOCLISMO DA RETRETE

 

RIO DE JANEIRO – Em 1973, fui trabalhar numa revista brasileira editada em Lisboa. Logo no primeiro dia, tive uma amostra das deliciosas diferenças que nos separavam, a nós e aos portugueses, em matéria de língua. Houve um problema no banheiro da redação e eu disse à secretária: “Isabel, por favor, chame o bombeiro para consertar a descarga da privada.” Isabel franziu a testa e só entendeu as quatro primeiras palavras. Pelo visto, eu estava lhe pedindo que chamasse a Banda do Corpo de Bombeiros para dar um concerto particular de marchas e dobrados na redação. Por sorte, um colega brasileiro, em Lisboa havia algum tempo e já escolado nos meandros da língua, traduziu o recado: “Isabel, chame o canalizador para reparar o autoclismo da retrete.” E só então o belo rosto de Isabel se iluminou. Ruy Castro, “Folha de S.Paulo”.

 

a) Em São Paulo, entende-se por “encanador” o que no Rio de Janeiro se entende por “bombeiro” e, em Lisboa, por “canalizador”. Isto permitiria afirmar que, em algum desses lugares, ocorre um uso equivocado da língua portuguesa? Justifique sua resposta.

 

b) Uma reforma que viesse a uniformizar a ortografia da língua portuguesa em todos os países que a utilizam evitaria o problema de comunicação ocorrido entre o jornalista e a secretária. Você concorda com essa afirmação? Justifique.

 

3. (Insper 2011)  Levando em conta as informações do primeiro quadrinho, identifique a alternativa que apresenta a palavra que também sofreu alterações na acentuação gráfica devido à regra mencionada.

 

a) plateia

b) heroico

c) gratuito

d) baiuca

e) caiu

 

5. (Uftm 2012)  Leia a tira de Laerte Coutinho.

Assinale a alternativa cujos termos completam, correta e respectivamente, as lacunas.

a) meço … comprimento … meço

b) meço … cumprimento … meço

c) mesço … comprimento … mesço

d) messo … cumprimento … messo

e) messo … comprimento … messo

 

Tarefa Semanal I Ano 04 de Gramática III Bimestre de 2012

Olá, pessoal!

 

Ai está a quarta tarefa semanal deste III Bimestre. Vocês deverão entregá-la até o dia 03/09/2012 (segunda-feira). Não se esqueçam de que a realização de todas as tarefas do bimestre poderá valer um ponto em sua nota bimestral.

 

Bons estudos,

Antonio Henrique.

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

 

Leia o trecho abaixo e responda:

 

“Eram dois, ele e ela, ambos na flor da beleza e da mocidade. O viço da saúde rebentava-lhes no encarnado das faces, mais aveludadas que a açucena escarlate recém aberta ali com os orvalhos da noite. No fresco sorriso dos lábios, como nos olhos límpidos e brilhantes, brotava-lhes a seiva d’alma”.

 

1) Uma das principais características da prosa romântica regionalista de Alencar, como se pode observar acima, é:

 

a) Apresentar o amor entre jovens no meio do campo

b) Mostrar a beleza da natureza em contraste com a cidade

c) Apresentar a paisagem maravilhosa do interior do Rio de Janeiro

d) Descrever seus personagens, comparando-lhes a elementos da natureza

e) Apresentar a paixão que seus personagens têm pela natureza.

 

Leia o texto abaixo e responda:

 

“Contradição viva, seu gênio é o ser e o não ser. Busquem nela a graça da moça e encontrarão o estouvamento do menino; porém mal se apercebam da ilusão, que já a imagem da mulher despontará em toda sua esplêndida fascinação. O paradoxo banal do anjo-demônio torna-se realidade nela, em quem se cambiam no sorriso ou no olhar a serenidade celeste com os fulvos lampejos da paixão, à semelhança do firmamento onde ao radiante matiz da aurora sucedem os fulgores sinistros da procela”.

 

2) No trecho acima, temos a descrição do temperamento e comportamento de Berta, principal personagem do livro de Alencar, como se pode notar, o autor utilizou duas figuras de linguagem para compô-la. Estas figuras são:

 

a) Prosopopeia e Metonímia

b) Hipérbole e Metáfora

c) Antítese e Prosopopeia

d) Metonímia e Hipérbole

e) Metáfora e Antítese

 

3) Victor Hugo, autor francês, escreveu que uma das principais características do romantismo é aproximar os opostos, isto é, tentar reunir o sublime e grotesco. Isso significa que os personagens românticos, geralmente, vão alternando durante o romance seu comportamento, ora praticando atitudes heroicas, ora praticando atitudes desprezíveis. No romance Til, temos dois personagens que demonstram bem essa relação entre sublime e o grotesco. Desse modo, aponte um deles e cite uma atitude sublime e uma atitude grotesca que ele tenha praticado.

 

Leia o texto abaixo e responda:

 

Quando o sol escondeu-se além, na cúpula da floresta, Berta ergueu-se ao doce lume do crepúsculo, e com os olhos engolfados na primeira estrela, rezou a ave-maria, que repetiam, ajoelhados a seus pés, o idiota, a louca e o facínora remido.

Como as flores que nascem nos despenhadeiros e algares, onde não penetram os esplendores da natureza, a alma de Berta fora criada para perfumar os abismos da miséria, que se cavam nas almas, subvertidas pela desgraça.

Era a flor da caridade, alma sóror.

 

4) Um das principais características do Romantismo é a idealização dos personagens. No romance Til, a personagem idealizada é Berta. Além da beleza da física, Berta é carregada de bons sentimentos. Por meio da leitura do trecho acima, percebemos que a protagonista auxilia todos aqueles que vivem na miséria. Desse modo,

 

a) Apresente resumidamente a história de Zana.

 

b) Apresente resumidamente a história de Brás.

 

 

Tarefa semanal de Gramática 01

Olá, pessoal!

Conforme avisei, aí está a primeira tarefa de Gramática do III Bimestre. Lembrem-se de que vocês devem entregá-la até 06 de agosto de 2012 (segunda-feira).

Até mais,

Antonio Henrique.

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Parágrafo do Editorial “Nossas crianças, hoje”.

“Oportunamente serão divulgados os resultados de tão importante encontro, mas enquanto nordestinos e alagoanos sentimos na pele e na alma a dor dos mais altos índices de sofrimento da infância mais pobre. Nosso Estado e nossa região padece de índices vergonhosos no tocante à mortalidade infantil, à educação básica e tantos outros indicadores terríveis.”(Gazeta de Alagoas, seção Opinião, 12.10.2010)

1. Faça a análise morfológica (isto é, apresentar a classe gramatical) de cada uma das palavras do texto acima. Obs: quando tratar-se de pronome ou conjunção, classifique-os de acordo com suas categorias.

2. (Ifal 2011)  Em que alternativa a seguir, a conjunção “enquanto” apresenta o mesmo sentido expresso no parágrafo?

a) “Enquanto era jovem, viveu intensamente.”

b) “Dorme enquanto eu velo…” (Fernando Pessoa)

c) “João enriquece, enquanto o irmão cai na miséria.”

d) “A gramática é o estudo da língua enquanto sistema…” (Sílvio Elia)

e) “Eu trabalhava enquanto ele dormia a sono solto.”

3) (Ufmg 2012)  Leia estes textos.

Texto 1

Texto 2

A moça do tempo anunciouna emissorade TV: “Ao norte do Brasil, haverá chuva intensa e
muito calor no período”. A região norte do Brasil é composta pelos estados de Roraima. Amapá, Amazonas, Pará, Acre, Rondônia e Tocantins. Só que, ao apontar a vasta região amazônica, ela se enganou de preposição. Não é “ao norte” e, sim, “no norte” do país que desabaria a procela. São diferentes, não só formalmente. (Revista Língua Portuguesa, ano 5, n. 54, abr 2010, p. 19.  Disponível em: http://revistalingua.uol.com. br/textos.asp?codigo= 12001>. Acesso em: 20jun. 2011).

a) Faça a análise morfológica (isto é, apresentar a classe gramatical) de cada uma das palavras do texto 2. Obs: quando tratar-se de pronome ou conjunção, classifique-os de acordo com suas categorias.

 

b) A precisão no uso dos termos é fundamental para definir com clareza o que se quer expressar. Nos textos 1 e 2, o emprego da preposição seguida, ou não, de artigo e o uso de diferentes preposições remetem a sentidos diferentes nos contextos em que ocorrem. Explicite o eleito de sentido resultante do uso de:

i) De/Do no Texto 1.

ii) No/ao no Texto 2.

4. (Enem 2010)  Os filhos de Ana eram bons, uma coisa verdadeira e sumarenta. Cresciam, tomavam banho, exigiam para si, malcriados, instantes cada vez mais completos. A cozinha era enfim espaçosa, o fogão enguiçado dava estouros. O calor era forte no apartamento que estavam aos poucos pagando. Mas o vento batendo nas cortinas que ela mesma cortara lembrava-lhe que se quisesse podia parar e enxugar a testa, olhando o calmo horizonte. Como um lavrador. Ela plantara as sementes que tinha na mão, não outras, mas essas apenas. (LISPECTOR, C. Laços de família. Rio de Janeiro: Rocco, 1998).

A autora emprega por duas vezes o conectivo mas no fragmento apresentado. Observando aspectosda organização, estruturação e funcionalidade doselementos que articulam o texto, o conectivo mas expressa o mesmo conteúdo nas duas situações emque aparece no texto.

a) expressa o mesmo conteúdo nas duas situações em que aparece no texto.

b) quebra a fluidez do texto e prejudica a compreensão, se usado no início da frase.

c) ocupa posição fixa, sendo inadequado seu uso na abertura da frase.

d) contém uma ideia de sequência temporal que direciona a conclusão do leitor.

e) assume funções discursivas distintas nos dois contextos de uso.

Gabarito

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Parágrafo do Editorial “Nossas crianças, hoje”.

“Oportunamente serão divulgados os resultados de tão importante encontro, mas enquanto nordestinos e alagoanos sentimos na pele e na alma a dor dos mais altos índices de sofrimento da infância mais pobre. Nosso Estado e nossa região padece de índices vergonhosos no tocante à mortalidade infantil, à educação básica e tantos outros indicadores terríveis.”(Gazeta de Alagoas, seção Opinião, 12.10.2010)

1. Faça a análise morfológica (isto é, apresentar a classe gramatical) de cada uma das palavras do texto acima. Obs: quando tratar-se de pronome ou conjunção, classifique-os de acordo com suas categorias.

 

Resolução:

 

“Oportunamente (advérbio de modo) serão (verbo no futuro) divulgados (adjetivo) os (artigo definido) resultados (substantivo) de (preposição) tão (advérbio) importante (adjetivo) encontro (substantivo), mas (preposição opositiva) enquanto (conjunção condicional) nordestinos (adjetivo) e (conjunção aditiva) alagoanos (adjetivo) sentimos (verbo) na (preposição + artigo) pele (substantivo) e (conjunção aditiva)  na (preposição + artigo) alma (substantivo) a (artigo) dor (substantivo) dos (preposição + artigo) mais (advérbio) altos (adjetivo) índices (substantivo) de (preposição) sofrimento (substantivo) da (preposição) infância (substantivo) mais (advérbio) pobre (substantivo). Nosso (pronome possessivo)  Estado (substantivo) e (conjunção) nossa (pronome possessivo) região (substantivo) padece (verbo) de (preposição) índices (substantivo) vergonhosos (adjetivo) no tocante à (locução prepositiva) mortalidade (substantivo) infantil (adjetivo), à (preposição) educação (substantivo) básica (adjetivo) e (conjunção) tantos (pronome indefinido) outros (pronome indefinido) indicadores (substantivo) terríveis (adjetivo).”(Gazeta de Alagoas, seção Opinião, 12.10.2010)

2. (Ifal 2011)  Em que alternativa a seguir, a conjunção “enquanto” apresenta o mesmo sentido expresso no parágrafo?

a) “Enquanto era jovem, viveu intensamente.”

b) “Dorme enquanto eu velo…” (Fernando Pessoa)

c) “João enriquece, enquanto o irmão cai na miséria.”

d) “A gramática é o estudo da língua enquanto sistema…” (Sílvio Elia)  

e) “Eu trabalhava enquanto ele dormia a sono solto.”

3) (Ufmg 2012)  Leia estes textos.

Texto 1

Texto 2

A moça do tempo anunciouna emissorade TV: “Ao norte do Brasil, haverá chuva intensa e
muito calor no período”. A região norte do Brasil é composta pelos estados de Roraima. Amapá, Amazonas, Pará, Acre, Rondônia e Tocantins. Só que, ao apontar a vasta região amazônica, ela se enganou de preposição. Não é “ao norte” e, sim, “no norte” do país que desabaria a procela. São diferentes, não só formalmente. (Revista Língua Portuguesa, ano 5, n. 54, abr 2010, p. 19.  Disponível em: http://revistalingua.uol.com. br/textos.asp?codigo= 12001>. Acesso em: 20jun. 2011).

a) Faça a análise morfológica (isto é, apresentar a classe gramatical) de cada uma das palavras do texto 2. Obs: quando tratar-se de pronome ou conjunção, classifique-os de acordo com suas categorias.

Resolução:

A (artigo) moça (substantivo) do (preposição + artigo)  tempo (substantivo) anunciou (verbo) na (preposição + artigo) emissora (substantivo) de (preposição) TV (substantivo): “Ao (preposição + artigo) norte (substantivo)  do (preposição + artigo) Brasil (substantivo), haverá (verbo) chuva (substantivo) intensa (adjetivo) e (conjunção aditiva) muito (advérbio) calor (substantivo) no (preposição + artigo) período (substantivo)”. A (artigo) região (substantivo) norte (adjetivo) do (preposição + artigo) Brasil (substantivo) é  composta (verbo) pelos (preposição) estados (substantivo) de (preposição) Roraima. Amapá, Amazonas, Pará, Acre, Rondônia e (conjunção aditiva) Tocantins (substantivos). Só  que (conjunção adversativa), ao (preposição +artigo) apontar (verbo) a (artigo) vasta (adjetivo) região (substantivo) amazônica (adjetivo), ela (pronome) se (pronome) enganou (verbo) de (preposição) preposição (substantivo). Não (advérbio de negação) é (verbo) “ao (preposição + artigo) norte (substantivo) ” e , sim (conjunção adversativa), “no (preposição + artigo) norte (substantivo)” do (preposição + artigo) país (substantivo) que (pronome relativo) desabaria (verbo) a (artigo) procela (verbo). São (verbo) diferentes (substantivo), não só formalmente (advérbios).

 

b) A precisão no uso dos termos é fundamental para definir com clareza o que se quer expressar. Nos textos 1 e 2, o emprego da preposição seguida, ou não, de artigo e o uso de diferentes preposições remetem a sentidos diferentes nos contextos em que ocorrem. Explicite o eleito de sentido resultante do uso de:

i) De/Do no Texto 1.

ii) No/ao no Texto 2.

Resolução:

i) Na tirinha de Fernando Gonsales, as imagens do último quadro expõem com clareza a diferença de sentidos da preposição “de” nas expressões “de balanço” e “do balanço”, relativamente ao objeto a que estão associadas. Enquanto a primeira expressa noção de finalidade da cadeira que se destina a embalar uma criança, a segunda, associada ao artigo “o”, adquire função adjetiva para caracterizar o objeto em que as crianças se sentam quando brincam no balanço. A frase “não confunda cadeira do balanço com cadeira de balanço” alerta para o acidente sofrido pela velhinha e antecipa o humor expresso no último quadro em que as posições convencionais de uma idosa e de uma criança estão invertidas.

ii) Na frase “Ao norte do Brasil, haverá chuva intensa e muito calor no período”, a locução adverbial “ao norte” inclui, além da região amazônica (Roraima, Amapá, Pará, Acre, Rondônia e Tocantins), as do nordeste (Piauí, Maranhão, Rio Grande do Norte, Ceará e Pernambuco) e outras além-fronteiras que também se situam ao norte do Brasil. O gesto da moça do tempo sinalizou apenas a região amazônica, o que pressupõe a inadequação do uso da preposição “a” incorporada ao artigo “o” em vez de “em” e justifica a advertência do articulista da revista “Língua Portuguesa”. Por precisão de linguagem, a frase deveria ser substituída por “no norte do Brasil”.

4. (Enem 2010)  Os filhos de Ana eram bons, uma coisa verdadeira e sumarenta. Cresciam, tomavam banho, exigiam para si, malcriados, instantes cada vez mais completos. A cozinha era enfim espaçosa, o fogão enguiçado dava estouros. O calor era forte no apartamento que estavam aos poucos pagando. Mas o vento batendo nas cortinas que ela mesma cortara lembrava-lhe que se quisesse podia parar e enxugar a testa, olhando o calmo horizonte. Como um lavrador. Ela plantara as sementes que tinha na mão, não outras, mas essas apenas. (LISPECTOR, C. Laços de família. Rio de Janeiro: Rocco, 1998).

A autora emprega por duas vezes o conectivo mas no fragmento apresentado. Observando aspectosda organização, estruturação e funcionalidade doselementos que articulam o texto, o conectivo mas expressa o mesmo conteúdo nas duas situações emque aparece no texto.

a) expressa o mesmo conteúdo nas duas situações em que aparece no texto.

b) quebra a fluidez do texto e prejudica a compreensão, se usado no início da frase.

c) ocupa posição fixa, sendo inadequado seu uso na abertura da frase.

d) contém uma ideia de sequência temporal que direciona a conclusão do leitor.

e) assume funções discursivas distintas nos dois contextos de uso. 

Tarefa Semanal I Ano 04 de Gramática II Bimestre de 2012

Olá, pessoal!

 

Ai está a quarta tarefa semanal deste I Bimestre. Vocês deverão entregá-la até o dia 21/05/2012 (segunda-feira). Não se esqueçam de que a realização de todas as tarefas do bimestre poderá valer um ponto em sua nota bimestral.

 

Bons estudos,

Antonio Henrique.

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

 

1. (Fuvest 2012)  Leia o seguinte texto:

 

Pense antes de compartilhar

Cada vez mais pessoas interagem por meio de redes sociais.

O crescimento dessas comunidades reforça uma das principais

discussões relativas à internet: a privacidade.

Época, 15/04/2011.

 

 

a) Qual a razão apresentada por essa matéria jornalística para aconselhar seus leitores a “pensar antes de compartilhar”?

b) No verbete “privacidade”, do Dicionário Houaiss da língua portuguesa, lê-se: trata-se de ang. de empréstimo recente na língua, sugerindo-se em seu lugar o uso de ……………. .

Por que o dicionário sugere que se evite o uso de “privacidade”? Que palavra pode ser usada em seu lugar?

 

2. (Uff 2010)  Cacá Diegues desbrava o Brasil como os brasilianistas de outrora e mostra uma população alijada que tenta se manter entre a cultura tradicional – transmitida por seus antepassados – e a modernidade, que como um bandeirante entra nos mais longínquos rincões do Brasil. O eterno retorno e a interminável travessia resgatada, entre outros, por Euclides da Cunha emergem na obra de Diegues. O filme é uma forma contemporânea de denunciar o Brasil que conhecemos pouco.

 

(http://www.facasper.com.br/cultura/site/ensaio. Adaptação).

 

Texto III

 

“O sertanejo é, antes de tudo, um forte. Não tem o raquitismo exaustivo dos mestiços do litoral. A sua aparência, entretanto, no primeiro lance de vista, revela o contrário. É desgracioso, desengonçado, torto. Hércules-Quasímodo é o homem permanentemente fatigado. Entretanto, toda essa aparência de cansaço ilude. No revés o homem transfigura-se e da figura vulgar do tabaréu canhestro reponta, inesperadamente, o aspecto dominador de um titã acobreado e potente, num desdobramento surpreendente de força e agilidade extraordinárias.”

Euclides da Cunha, Os sertões.

 

Texto IV

a) Caracterize os efeitos de sentido que a intertextualidade do Texto IV (aspectos verbais e não verbais) apresenta com o fragmento de Os sertões (Texto III).

b) Observe a diferença de pontuação entre “O sertanejo é, antes de tudo, um forte.” (Texto III) e “O sertanejo é antes de tudo um agitador!” (Texto IV) e comente os aspectos semântico-estilísticos na produção de sentidos nessas duas frases.

 

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:

Futebol de rua

Luís Fernando Veríssimo

 

Pelada é o futebol de campinho, de terreno baldio. (I) Mas existe um tipo de futebol ainda mais rudimentar do que a pelada. É o futebol de rua. Perto do futebol de rua qualquer pelada é luxo e qualquer terreno baldio é o Maracanã em jogo noturno. (II) Se você é homem, brasileiro e criado em cidade, sabe do que eu estou falando. (III) Futebol de rua é tão humilde que chama pelada de senhora. Não sei se alguém, algum dia, por farra ou nostalgia, botou num papel as regras do futebol de rua. Elas seriam mais ou menos assim:

 

DA BOLA – A bola pode ser qualquer coisa remotamente esférica. Até uma bola de futebol serve. No desespero, usa-se qualquer coisa que role, como uma pedra, uma lata vazia ou a merendeira do seu irmão menor, que sairá correndo para se queixar em casa. (…)

 

DAS GOLEIRAS – As goleiras podem ser feitas com, literalmente, o que estiver à mão. Tijolos, paralelepípedos, camisas emboladas, os livros da escola, a merendeira do seu irmão menor, e até o seu irmão menor, apesar dos seus protestos. (IV) Quando o jogo é importante, recomenda-se o uso de latas de lixo. Cheias, para aguentarem o impacto. (…)

 

DO CAMPO – O campo pode ser só até o fio da calçada, calçada e rua, calçada, rua e a calçada do outro lado e – nos clássicos – o quarteirão inteiro. O mais comum é jogar-se só no meio da rua.

 

DA DURAÇÃO DO JOGO – (V) Até a mãe chamar ou escurecer, o que vier primeiro. Nos jogos noturnos, até alguém da vizinhança ameaçar chamar a polícia.

 

DO JUIZ – Não tem juiz.

(…)

 

DAS SUBSTITUIÇÕES – Só são permitidas substituições:

a) No caso de um jogador ser carregado para casa pela orelha para fazer a lição.

b) Em caso de atropelamento.

 

DO INTERVALO PARA DESCANSO – Você deve estar brincando.

 

DA TÁTICA – Joga-se o futebol de rua mais ou menos como o Futebol de Verdade (que é como, na rua, com reverência, chamam a pelada), mas com algumas importantes variações. O goleiro só é intocável dentro da sua casa, para onde fugiu gritando por socorro. É permitido entrar na área adversária tabelando com uma Kombi. Se a bola dobrar a esquina é córner*.

 

DAS PENALIDADES – A única falta prevista nas regras do futebol de rua é atirar um adversário dentro do bueiro. É considerada atitude antiesportiva e punida com tiro indireto.

 

DA JUSTIÇA ESPORTIVA – Os casos de litígio serão resolvidos no tapa.

 

*córner = escanteio

(Publicado em Para Gostar de Ler. v.7. SP: Ática, 1981)

 

 

3. (Ifpe 2012)  Os enunciados abaixo analisam os processos de formação de palavras retiradas do texto. Leia-os e marque a alternativa correta.

a) “Futebol de rua” é uma palavra composta por justaposição.

b) “Embolada” e “merendeira” são termos formados por derivação sufixal.

c) “Intocável” é uma palavra formada por derivação prefixal e sufixal.

d) “Penalidades” é uma palavra formada por composição dos radicais “pena” mais “idades”.

e)  “Antiesportiva” e “indireto” são palavras formadas por derivação prefixal.

 

4. (Ifpe 2012) As palavras grifadas no texto “rudimentar” (1º parágrafo), “remotamente” (2º parágrafo) e “literalmente” (3º parágrafo) podem ser substituídas, sem prejuízo do sentido, respectivamente, por:

a) primitivo, antigamente, conforme a letra.

b) aperfeiçoado, verdadeiramente, realmente.

c) elementar, dificilmente, fielmente.

d) simples, vagamente, propriamente.

e) desenvolvido, completamente, verdadeiramente.

Tarefa Semanal I Ano 03 de Gramática II Bimestre de 2012

Olá, pessoal!

 

Ai está a terceira tarefa semanal deste I Bimestre. Vocês deverão entregá-la até o dia 14/05/2012 (segunda-feira). Não se esqueçam de que a realização de todas as tarefas do bimestre poderá valer um ponto em sua nota bimestral.

 

Bons estudos,

Antonio Henrique.

 

 

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

 

1. (Unicamp 2012)  O parágrafo reproduzido abaixo introduz a crônica intitulada Tragédia concretista, de Luís Martins.

 

O poeta concretista acordou inspirado. Sonhara a noite toda com a namorada. E pensou: lábio, lábia. O lábio em que pensou era o da namorada, a lábia era a própria. Em todo o caso, na pior das hipóteses, já tinha um bom começo de poema. Todavia, cada vez mais obcecado pela lembrança daqueles lábios, achou que podia aproveitar a sua lábia e, provisoriamente desinteressado da poesia pura, resolveu telefonar à criatura amada, na esperança de maiores intimidades e vantagens. Até os poetas concretistas podem ser homens práticos. (Luís Martins, Tragédia concretista, em As cem melhores crônicas brasileiras. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007, p. 132.)

 

a) Compare lábio e lábia quanto à forma e ao significado. Considerando a especificidade do poeta, justifique a ocorrência dessas duas palavras dentro da crônica.

b) Explique por que a palavra todavia é usada para introduzir um dos enunciados da crônica.

 

2. (Fuvest 2010)  Leia estas duas estrofes da conhecida canção “Asa-Branca”, de Luís Gonzaga e Humberto Teixeira.

 

Quando olhei a terra ardendo

Qual fogueira de São João,

Eu perguntei a Deus do céu, ai

Por que tamanha judiação.

……………………………………

Quando o verde dos teus olhos

se espalhar na plantação,

eu te asseguro, não chores não, viu,

eu voltarei, viu, meu coração.

 

a) Indique uma palavra ou expressão que possa substituir “Qual” (primeira estrofe), sem alterar o sentido do texto.

b) Na segunda estrofe, substitua a palavra “viu” por outra que cumpra a mesma função comunicativa que ela tem no texto.

c) Nessas estrofes, os únicos recursos poéticos utilizados são rima e ritmo? Justifique sua resposta.

 

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES: 

3. (Enem 2011)  O argumento presente na charge consiste em uma metáfora relativa à teoria evolucionista e ao desenvolvimento tecnológico. Considerando o contexto apresentado, verifica-se que o impacto tecnológico pode ocasionar

a) o surgimento de um homem dependente de um novo modelo tecnológico.

b) a mudança do homem em razão dos novos inventos que destroem sua realidade.

c) a problemática social de grande exclusão digital a partir da interferência da máquina.

d) a invenção de equipamentos que dificultam o trabalho do homem, em sua esfera social.

e) o retrocesso do desenvolvimento do homem em face da criação de ferramentas como lança, máquina e computador.

 

4. (Enem 2011)  O homem evoluiu. Independentemente de teoria, essa evolução ocorreu de várias formas. No que concerne à evolução digital, o homem percorreu longo trajeto da pedra lascada ao mundo virtual. Tal fato culminou em um problema físico habitual, ilustrado na imagem, que propicia uma piora na qualidade de vida do usuário, uma vez que

a) a evolução ocorreu e com ela evoluíram as dores de cabeça, o estresse e a falta de atenção à família.

b) a vida sem o computador tornou-se quase inviável, mas se tem diminuído problemas de visão cansada.

c) a utilização demasiada do computador tem proporcionado o surgimento de cientistas que apresentam lesão por esforço repetitivo.

d) o homem criou o computador, que evoluiu, e hoje opera várias ações antes feitas pelas pessoas, tornando-as sedentárias ou obesas.

e) o uso contínuo do computador de forma inadequada tem ocasionado má postura corporal.

Proposta de Narração

Alunos, tendo em vista nosso estudo sobre as características da narração, segue uma proposta de texto, cujo gênero solicitado é o narrativo. Para ajudar na construção de sua redação, leia os textos abaixo, que abordam a temática do consumo.

Profª. Carla

Proposta de texto

 

Alunos, tendo em vista nosso estudo sobre as características da narração, segue uma proposta de texto, cujo gênero solicitado é o narrativo. Para ajudar na construção de sua redação, leia os textos abaixo, que abordam a temática do consumo.

Boa leitura e boa escrita!

 

Texto 1

Valor das dívidas

O valor médio das dívidas vencidas com cartões de crédito e financeiras foi de R$ 357 no bimestre, 5,5% a menos que no mesmo período de 2008. As dívidas bancárias tiveram valor médio de R$ 1.371, queda de 3%. Já o valor médio dos cheques devolvidos foi de R$ 823, com alta de 29,9% na mesma comparação.

Na avaliação dos técnicos da Serasa, o aumento da inadimplência da pessoa física no primeiro bimestre reflete a dificuldade dos consumidores em honrar dívidas em razão do aumento do desemprego.

De acordo com dados do Ministério do Trabalho, só em janeiro foram fechadas 101.748 vagas de emprego formal no país. Os técnicos também consideram que a falta de disciplina financeira contribui para a não-quitação de dívidas dentro do prazo.

(<http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/ 0,,MUL1040669-9356,00 INADIMPLENCIA+DO+CONSUMIDOR +CRESCE+NO+BIMESTRE+APONTA+SERASA.html>.)

Texto 2

Eu, etiqueta

Em minha calça está gravado um nome

que não é meu de batismo ou de cartório

um nome… estranho.

Meu blusão traz lembrete de bebida

que jamais pus na boca, nesta vida.

[...]

Não sou – vê lá – anúncio contratado.

Eu é que mimosamente pago

para anunciar, para vender

[...]

Por me ostentar assim, tão orgulhoso

de ser não eu, mas artigo industrial,

peço que meu nome retifiquem.

Já não me convém o título de homem,

meu nome novo é coisa.

Eu sou a coisa, coisamente.

(Carlos Drummond de Andrade.)

Texto 3

Consumo interno

Em larga medida, a força do Bric* provém da enorme fatia da população mundial concentrada os quatro países. Neles vivem 2,7 bilhões de habitantes, o equivalente a 40% da humanidade. A grande maioria desse contingente é de chineses e indianos, os países com as mais aceleradas taxas de crescimento econômico entre as grandes economias.

[...]

A aposta atual dos economistas é que esta será a década na qual o Bric presenciará a inclusão de grande parcela da população ao universo de consumo da classe média. No Brasil, um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que 32 milhões de pessoas passaram a integrar a classe média entre 2003 e 2008, o que levou a uma alta de 15% no potencial de consumo do brasileiro. Pelos critérios da FGV, pertencem à classe média pessoas com renda domiciliar superior a R$ 4.807(classe AB) ou entre R$ 1.115 e 4.806 (classe C).

De acordo com um informe publicado em 2010 pelo Goldman Sachs, a expansão da classe média no Bric, especialmente na China e na Índia, orientará o mercado mundial, já que o perfil de consumo dessa classe social difere daquele típico das camadas mais pobres – no qual o peso do gasto com comida e roupa é proporcionalmente bem mais elevado do que com educação ou lazer.

* Bric: Brasil, Rússia, Índia e China.

 “Atualidades Vestibular + Enem”. Economia: Países emergentes – O Brasil

e o Bric. Guia do estudante 2011. p. 126. (Adapt.).

Proposta de Texto

Depois de ler os textos, construa uma história (narrativa) sobre um consumidor compulsivo, cujo cartão de crédito está sem permissão para operações financeiras, diante de uma loja muito famosa em um grande centro comercial na cidade de São Paulo, em momento de liquidação total. Para tanto:

 

  • Escreva conforme a norma culta da língua;
  • O foco narrativo deve ser de 3ª pessoa;
  • Escreva à tinta;
  • Seu texto deverá ter, no mínimo, 20 linhas e, no máximo, 35.

 

(Fonte: Sistema Poliedro de Ensino)

 

 

Tarefa Semanal 02 de gramática do I Ano I Bimestre 2012

Olá, pessoal!

 

Aí está a segunda tarefa semanal deste II Bimestre. Vocês deverão entregá-la até o dia 07/05/2012 (segunda-feira). Não se esqueçam que a realização de todas as tarefas do bimestre poderá valer um ponto em sua nota bimestral.

 

Até mais,

Antonio Henrique.

 

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

 

1. (Unicamp 2012)  Os verbetes apresentados em (II) a seguir trazem significados possíveis para algumas palavras que ocorrem no texto intitulado Bicho Gramático, apresentado em (I).

 

IBicho gramático

 

Vicente Matheus (1908-1997) foi um dos personagens mais controversos do futebol brasileiro. Esteve à frente do paulista Corinthians em várias ocasiões entre 1959 e 1990. Voluntarioso e falastrão, o uso que fazia da língua portuguesa nem sempre era aquele reconhecido pelos livros. Uma vez, querendo deixar bem claro que o craque do Timão não seria vendido ou emprestado para outro clube, afirmou que “o Sócrates é invendável e imprestável”. Em outro momento, exaltando a versatilidade dos atletas, criou uma pérola da linguística e da zoologia: “Jogador tem que ser completo como o pato, que é um bicho aquático e gramático”.  (Adaptado de Revista de História da Biblioteca Nacional, jul. 2011, p. 85.)

 

II – Dicionário

 

Invendável: que não se pode vender ou que não se vende com facilidade.

Imprestável: que não tem serventia; inútil.

Aquático: que vive na água ou à sua superfície.

Gramático: que ou o que apresenta melhor rendimento nas corridas em pista de grama (diz-se de cavalo). (Dicionário HOUAISS (versão digital on line), houaiss.uol.com.br)

 

a) Descreva o processo de formação das palavras invendável e imprestável e justifique a afirmação segundo a qual o uso que Vicente Matheus fazia da língua portuguesa “nem sempre era aquele reconhecido pelos livros”.

b) Explique por que o texto destaca que Vicente Matheus “criou uma pérola da linguística e da zoologia”.

 

2. (Fuvest 2012)  Leia com atenção o seguinte texto:

 

A onipresença do olho mágico da televisão no centro da vida doméstica dos brasileiros, com o 1poder (imaginário) de tudo mostrar e tudo ver que os espectadores lhe atribuem, vem provocando curiosas alterações nas relações entre o público e o privado. Durante pelo menos dois séculos, o bom gosto burguês nos ensinou que algumas coisas não se dizem, não se mostram e não se fazem em público. Essas mesmas coisas, até então reservadas ao espaço da privacidade, hoje ocupam o centro da cena televisiva. Não que o bom gosto burguês deva ser tomado como referência indiscutível da 2ética que regula a vida em qualquer sociedade. Mas a inversão de padrões que pareciam tão convenientemente estabelecidos nos países do Ocidente dá o que pensar. No mínimo, podemos concluir que a burguesia do terceiro milênio já não é a mesma que ditou o bom comportamento dos dois séculos passados. No máximo, supõe-se que os fundamentos do contrato que ordenava a vida social entre os séculos XIX e XX estão profundamente abalados, e já vivemos, sem nos dar conta, em uma sociedade pós-burguesa, num sentido semelhante ao do que chamamos uma sociedade pós-moderna. (Maria R. Kehl, in Bucci e Kehl, Videologias: ensaios sobre televisão).

 

a) O que a autora do texto quer dizer, quando se refere ao “poder de tudo mostrar e tudo ver” (ref.1), atribuído à televisão, como “imaginário”?

b) Indique a palavra do primeiro período que tem o mesmo significado do prefixo que entra na formação da palavra “onipresença”.

c) Indique uma palavra ou expressão do texto que corresponda ao sentido da palavra “ética” (ref.2).

 

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

 

Todas as variedades linguísticas são estruturadas, e correspondem a sistemas e subsistemas adequados às necessidades de seus usuários. Mas o fato de estar a língua fortemente ligada à estrutura social e aos sistemas de valores da sociedade conduz a uma avaliação distinta das características das suas diversas modalidades regionais, sociais e estilísticas. A língua padrão, por exemplo, embora seja uma entre as muitas variedades de um idioma, é sempre a mais prestigiosa, porque atua como modelo, como norma, como ideal linguístico de uma comunidade. Do valor normativo decorre a sua função coercitiva sobre as outras variedades, com o que se torna uma ponderável força contrária à variação. (Celso Cunha. Nova gramática do português contemporâneo. Adaptado).

 

3. (Fuvest 2012)  De acordo com o texto, em relação às demais variedades do idioma, a língua padrão se comporta de modo

a) inovador.

b) restritivo.

c) transigente.

d) neutro.

e) aleatório.

 

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

 

Leia o seguinte trecho de uma entrevista concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa:

 

Entrevistador: – O protagonismo do STF dos últimos tempos tem usurpado as funções do Congresso?

Entrevistado: – Temos uma Constituição muito boa, mas excessivamente detalhista, com um número imenso de dispositivos e, por isso, suscetível a fomentar interpretações e toda sorte de litígios. Também temos um sistema de jurisdição constitucional, talvez único no mundo, com um rol enorme de agentes e instituições dotadas da prerrogativa ou de competência para trazer questões ao Supremo. É um leque considerável de interesses, de visões, que acaba causando a intervenção do STF nas mais diversas questões, nas mais diferentes áreas, inclusive dando margem a esse tipo de acusação. Nossas decisões não deveriam passar de duzentas, trezentas por ano. Hoje, são analisados cinquenta mil, sessenta mil processos. É uma insanidade. (Veja, 15/06/2011).

 

4. (Fuvest 2012)  Tendo em vista o contexto, a palavra do texto que sintetiza o teor da acusação referida na entrevista é

a) “usurpado”.

b) “detalhista”.

c) “fomentar”.

d) “litígios”.

e) “insanidade”.

Tarefa Semanal de Gramática do 1° Ano II Bimestre 01

Olá, pessoal!

 

Finalmente, a primeira tarefa semanal deste II Bimestre. Conforme combinamos, vocês deverão entregá-la até o dia 27/04/2012 (sexta-feira). Não se esqueçam que a realização de todas as tarefas do bimestre poderá valer um ponto em sua nota bimestral.

 

Até mais,

Antonio Henrique.

 

MODO DE FAZER:

 

1) Todas as tarefas serão compostas por 4 questões semanais: duas dissertativas e duas alternativas. Cada tarefa vale 0,20 (cada questão vale 0,05). Assim, o aluno poderá somar 1,0 ponto em sua média.

2) As questões alternativas devem ser justificadas, em virtude disso, o aluno deverá explicar em cada alternativa o que está correto e o que não está.

3) O prazo de entrega deve ser exatamente de uma semana após a postagem da lista de exercícios.

 

  1. 1.    (Unicamp 2012) 

 

TEXTO I

 

Entre 1995 e 2008, 12,8 milhões de pessoas saíram da condição de pobreza absoluta (rendimento médio domiciliar per capita até meio salário mínimo mensal), permitindo que a taxa nacional dessa categoria de pobreza caísse 33,6%, passando de 43,4% para 28,8%.

No caso da taxa de pobreza extrema (rendimento médio domiciliar per capita de até um quarto de salário mínimo mensal), observa-se um contingente de 13,1 milhões de brasileiros a superar essa condição, o que possibilitou reduzir em 49,8% a taxa nacional dessa categoria de pobreza, de 20,9%, em 1995, para 10,5%, em 2008.

 

(Dimensão, evolução e projeção da pobreza por região e por estado no Brasil, Comunicados do IPEA, 13/07/2010, p. 3.)

 

TEXTO II

a) Podemos relacionar os termos miséria e pobreza, presentes no TEXTO II, a dois conceitos que são abordados no TEXTO I. Identifique esses conceitos e explique por que eles podem ser relacionados às noções de miséria e pobreza.

b) Que crítica é apresentada no TEXTO II? Mostre como a charge constrói essa crítica.

 

2. (Unicamp 2012)  Há notícias que são de interesse público e há notícias que são de interesse do público. Se a celebridade “x” está saindo com o ator “y”, isso não tem nenhum interesse público. Mas, dependendo de quem sejam “x” e “y”, é de enorme interesse do público, ou de um certo público (numeroso), pelo menos.

As decisões do Banco Central para conter a inflação têm óbvio interesse público. Mas quase não despertam interesse, a não ser dos entendidos.

O jornalismo transita entre essas duas exigências, desafiado a atender às demandas de uma sociedade ao mesmo tempo massificada e segmentada, de um leitor que gravita cada vez mais apenas em torno de seus interesses particulares.

 

(Fernando Barros e Silva, O jornalista e o assassino. Folha de São Paulo (versão on line), 18/04/2011. Acessado em 20/12/2011.)

 

a) A palavra público é empregada no texto ora como substantivo, ora como adjetivo. Exemplifique cada um desses empregos com passagens do próprio texto e apresente o critério que você utilizou para fazer a distinção.

b) Qual é, no texto, a diferença entre o que é chamado de interesse público e o que é chamado de interesse do público?

 

Leia o texto a seguir.

 

3) Plurissignificação (ou multissignificação) é um dos atributos da linguagem mais sofisticada, e aparece no teatro, poemas, romances, contos, publicidade, filmes, letras de música; até na mais simples comunicação do cotidiano deixa traços visíveis em declarações como: “Meu coração está dando saltos de alegria”. Levando em conta tais aspectos e interpretando o texto misto dos quadrinhos apresentados, podemos afirmar que:

a) histórias em quadrinhos, por serem textos mistos (visual e escrito), não contêm linguagem plurissignificativa.

b) ao registrar “Olhe bem, a vida te requisita…”, os autores dos quadrinhos colocaram, na sequência, a figura

de uma baleia, significando que a vida é ágil, nos persegue com violência e, não raramente, nos mata.

c) no segundo quadrinho, ao afirmar “A vida corre atrás da gente, não adianta fugir”, a personagem usa linguagem denotativa e, portanto, difícil de ser interpretada.

d) apenas no quarto quadrinho existe linguagem plurissignificativa.

e) a linguagem usada pelos quadrinistas, na história, tem apelo plurissignificativo e desenvolve, de acordo com a informação e formação do leitor, interpretações múltiplas.

 

4) O poema a seguir é de Álvaro de Campos, heterônimo de Fernando Pessoa, poeta pertencente ao modernismo português.

[...]

Ho-ho-ho-ho-ho!…

Cada vez mais depressa, cada vez mais com o espírito diante do corpo

Adiante da própria ideia veloz do corpo projectado,

Com o espírito atrás adiante do corpo, sombra, chispa,

He-la-ho-ho… Helahoho…

[…]

Hup-la por cima das árvores, hup-la por baixo dos tanques,

Hup-la contra as paredes, hup-la raspando nos troncos,

Hup-la no ar, hup-la no vento, hup-la, hup-la nas praias,

Numa velocidade crescente, insistente, violenta,

Hup-la hup-la hup-la hup-la hup-la…

[…]

E choca-te, trz!, esfrangalha-te no fundo do meu coração!

(Fernando Pessoa, Álvaro de Campos. Poesias).

 

Considere as seguintes afirmações sobre o texto.

 

I. O emprego das onomatopeias na poesia de Fernando Pessoa tem como intenção criar um efeito de dinamicidade, movimento; o movimento acelerado é interrompido no final por meio da última onomatopeia: “trz!”; o ritmo do poema, no entanto, não muda.

II. Em “crescente, insistente, violenta”, temos assonância (repetição da vogal) e rima pobre (mesma classe gramatical); tais recursos contribuem para a musicalidade do poema.

III. No terceiro verso citado, o vocábulo “projectado” revela que o português empregado neste poema é o de Portugal; trata-se de uma variante geográfica no nível da ortografia.

 

Está(ão) correta(s):

a) apenas I.

b) apenas III.

c) apenas I e III.

d) apenas II e III.

e) todas.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.